Baobá e Tamanu – craques ou cremes?

Quando me falaram nestes nomes fiquei surpreendido a dois tempos: primeiro porque estranhei ser abordado por uma mulher que me falava com entusiasmo do que eu pensei serem os últimos reforços do Belenenses, desencantados num qualquer ilhéu de Cabo Verde ou na 2ª Divisão do Regional de Mato Grosso. Em segundo lugar porque rapidamente percebi que não se tratavam de pessoas, mas ingredientes ‘revolucionários’ incorporados na indústria da beleza e dos cremes para manter senhoras jovens, lustrosas e bonitas.

Atenção, sei bem que o mito de que os homens e os cremes não se dão há muito que está em declínio. Não é preciso entrar no comboio da metrossexualidade para dar por mim a ter alguns cuidados que envolvem cremes, sem chegar no entanto à máscara de beleza – tratam-se de cuidados e não de milagres.

Só que quando oiço falar nestes ingredientes cheira-me sempre à tentativa de encontrar a coisa mais exótica, oriunda do local mais remoto (ou da fonte menos previsível) e justificar os seus poderes de rejuvenescimento/beleza com atributos dificilmente comprováveis. E como há a necessidade de constante renovação e novos lançamentos, o que ontem era quase milagroso, hoje em dia está na última fila da prateleira.

 

RIP Karité

RIP Baba de Caracol

RIP mais outras 50 cenas que podia ser craques da bola como Baobá e Tamanu mas, em vez disso, são apenas ingredientes pomposos em rótulos modernos.

Anúncios

Tens a certeza disso que dizes?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s