10 Fenómenos estranhos na hora das despedidas

tumblr_nnarqbJEGI1upwzm1o1_500

Boa parte das pessoas não gere bem o momento das despedidas em momentos sociais e, se nunca deram por isso, é porque provavelmente fazem parte do grupo. Não sendo propriamente algo científico, é no entanto um acontecimento recorrente, as pessoas despedem-se umas das outras, sendo que a duração/momento dessa despedida é que pode fazer variar a carga emocional. Como tal, é passível de uma análise tipológica, ao jeito do departamento de Ciências Sociais da Universidade de Badmington.

 

Assim, ao nível de fenómenos de gestão do momento de despedidas temos:

O Prolongador
Já todos estivemos numa situação em que uma despedida que se faz em 10 segundos se arrasta por 10, 20, 30 minutos. Às vezes é porque se metem temas de conversa no meio da despedida, noutros casos é porque uma das partes se esqueceu que aquilo era uma despedida e arrasta a coisa, muitas vezes perante o evidente (e crescente) desinteresse dos restantes que só se querem ir embora.

tumblr_mk3bumwcQO1s3s2goo1_500

‘Não vão já, isto ainda está agora a começar…’

O Amplificador
É a pessoa que eleva as despedidas a um expoente glorioso, mesmo que se trate de um encontro casual no autocarro entre duas pessoas que mal se falavam na faculdade. Há sempre uma confirmação da espectacularidade do momento, ‘Epá, gostei mesmo de te ver’, há sempre uma expectativa de renovação que nunca vai acontecer ‘Epá, vamos então marcar esse jantar’ e há sempreminutos de mãos no ombro, esfregadelas no bracinho e proximidade que nunca devia ter existido.

7-The-Vow

O Lamechas
A despedida é um momento crítico e as emoções vêm sempre ao de cima. Por vezes, o momento justifica-o, noutros casos é pura lamechice. ‘Não vás’, ‘Fiquem mais um bocadinho’, ‘Sabe-se lá quando é que nos voltamos a ver’, são apenas algumas das suas armas para fazer sentir mal para quem simplesmente só se quer ir embora.

post-16032-Black-kitten-needed-a-hug-ivJk.jpeg

“Fogo, ainda nem foste e já me fazes falta. És o maior…”

O Ninja
Só sabemos que o ninja se despediu quando damos por isso que ele já não está lá. É alguém que parece que vai à casa de banho, foi buscar uma coisa ao carro, estava apenas a dois passos de nós e de repente, puff, já desapareceu. Por vezes sem liquidar os 20€ que nos pediu e que foi só ali ao multibanco levantar.

tumblr_myuwssG65z1sp7ha5o1_500

O Bruto
Não sabe despedir-se e não tem jeito para essas merdas. E repete isso dez vezes em cada despedida. Volta as costas e já se está a afastar quando as pessoas ainda lhe estão a dizer adeus. Levanta um braço e fala alto, nem que seja para abafar o que os outros estão a dizer.

UGw1mKB

‘Não sei despedir-me e não tenho medo de o mostrar…’

O Sem Jeito
É mais um efeito do que uma pessoa. São normalmente vários minutos de conversa em que ninguém já está a ter uma conversa coerente, aquilo já é uma despedida, mas ninguém tem a coragem para avançar com as palavras. É uma sequência de ‘Pois…’, ‘Então pronto…’, ‘É assim a vida…’ em que todos aguardam que a coisa finalmente se efective.

tumblr_m9acsnhzjd1qasdemo1_r1_500

O Personalizador
Faz gosto em despedir-se pessoalmente de todos os presentes, tem uma palavra ou gesto para todos, mesmo para aqueles que não conhece propriamente bem. Há quem diga que isso é ser muito educado mas, em certos casos, é simplesmente ser chato. É o equivalente ao tipo que conduz demasiado devagar numa via em que não se pode ultrapassar. Não está a quebrar nenhuma lei, mas a verdade é que nos está a atrasar a todos.
1279875104_hand-shake-fail

O Par desconexo
Casal ou dupla de amigos que vai juntos a um evento e na hora da despedida tem comportamentos diferentes. Um deles arrasta-se nas despedidas, o outro é rápido a tratar das coisas, o que gera com que um esteja já ali ao fundo a 5 metros de toda a gente e outro ainda a despedir-se. Isso faz com que o que já está despachado fique a dizer ‘Anda lá’, ‘Vamos andando’, ‘Então, despacha-te lá…’.

14 - 1

O Ressuscitador
É alguém que todos pensaram que já tinha saído ou que efectivamente já tinha cumprido o ritual e que de repente aparece de novo no evento para cumprir de novo o ciclo, sem que ninguém perceba muito bem onde esteve ou se se trata apenas de déjà vu.

Berghain-gif1

O Corta Corrente
Para essa pessoa chegou o momento da despedida e, como tal, ela quer que todos se despeçam mesmo que o timing não seja o mesmo. Começa a cortar conversas, começa a tentar encaminhar toda a gente para a porta, para os carros e é impossível não notar. O seu momento de despedida só faz sentido se for colectivo e é por isso, o maestro das despedidas, mesmo que todos os presentes quisessem apenas que ela se fosse embora e os deixasse em paz.

anigif_enhanced-buzz-21202-1426801755-6

 

Por vezes, é natural que uma pessoa flutue entre vários géneros, especialmente se a despedida é um momento em que nunca se sentem confortáveis. Da minha parte, só posso oferecer um conselho idiota – transformem a despedida noutra coisa qualquer. Não vão deixar de parecer estranhos, mas pelos menos sempre se inserem noutra categoria diferente.

Anúncios

Tens a certeza disso que dizes?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s