Anda comigo ver os aviões, o cara…. ou boas razões para não levar a sério letras românticas

Há momentos na vida de um homem em que ele se indigna perante uma letra ao estilo de ‘Anda comigo ver os aviões’ dos Azeitonas. Não sei que tipo de momentos são esses, mas este é um deles.

Na verdade, já há algum tempo que não me dedicava a uma análise rigoroso-filosófica de uma música portuguesa, mais precisamente desde a época em que Amadeu Mota ainda amava no carro. E portanto, nada melhor que ir direito a um favorito de tantos corações lusitanos e começar a colocar coisas em causa.

Mas comecemos pela cantoria.

 

Não sendo eu um pródigo Don Juan, posso dizer que tive a dose de encontros, relações e ‘convívio com o sexo oposto’ suficientes para dizer que é bastante difícil convencer uma mulher a ir ver aviões, sem que esse conceito implique uma viagem nos mesmos. Não sei porquê, quer a versão mais normal ‘vamos ali espreitar voos ao aeroporto’, quer o freakismo de ‘Há ali um spot espectacular junto a Camarate para vermos aviões a descolar’ não me parecem elixires românticos ou propostas que arrebatam senhoras.

O mesmo se aplica a viagens até ao porto de Leixões ou um outro qualquer porto do género, salvo se o alvo do nosso interesse amoroso for uma varina ou alguém com fortes interesses piscatórios.

Apostar nos cavalos errados não saúde nem dinheiro

No entanto, há aqui um elemento comum – programas lúdicos de baixo custo financeiro e, já se sabe, o amor verdadeiro fala mais alto que os valores materiais. Ainda assim, meus amigos, há por aí muito jardim público com belos cenários de fauna e flora e muito miradouro pronto a alargar os horizontes de algumas relações. Levar mulheres para ambientes em contexto de viagens e deixá-las a ver navios é que não me parece bem.

Depois há a tentativa de fortuna que há de enriquecer um futuro comum através do jogo – ‘Ah e tal, eu vou jogar na Lotaria e no Totobola para te dar o que mereces’ – devem ser só os piores jogos em termos de retorno de prémio e fazem qualquer jovem de 20/30 anos parecer ter 75 e pouca dentição própria. A sério amigos, Totobola? Arriscam-se a acertar tudo e nem um fim de semana com estadia em hotel de 3 estrelas com poliban conseguir pagar. Até o Nel Monteiro já fez músicas a indicar que o Euromilhões é o caminho.

A ineficácia de juras ‘à cigano’

Por já ter estado em situações em que o elemento feminino pode estar com alguma resistência inicial aos nossos encantos, conheço o poder de uma boa hipérbole ou metáfora e o encanto de uma ou outra figura de estilo que nos levem até onde queremos chegar. Contudo, a repetição de juras ao estilo ‘eu morra já aqui’ ou ‘eu fique aqui ceguinho’ leva-nos muito mais para o patamar do vendedor cigano do que do enamorado galante. E nós não estamos a vender Dolce&Badanna nem óculos Ray-Dan, portanto há que gerir expectativas de forma condizente.

O tuning não é para aceleras do amor

Mas começo a torcer verdadeiramente o nariz quando o programa em promessa já é ‘ver carros na avenida a rasgar pneu’ – isso não é amor, é tuning e se estamos a convencer mulheres com base em eventos de tuning, temos de estar preparados para consequências realmente trágicas – elas eventualmente aceitarem entusiasticamente.

E atenção, eu já fui passageiro num carro tunnificado na Vasco da Gama, tendo ido parar a um estabelecimento onde coroavam uma espécie de Miss Barreiro, sei bem onde aventuras dessas podem acabar.

Não ponho em causa a dedicação musical da rapaziada azeitonense, mas isto é coisa que só funciona se conseguirmos apagar da memória anos de relação com o sexo oposto – ou seja, enquanto cantilena é tudo muito bonito, mas coitado do que tentar por isto realmente em prova. E nem preciso dizer ‘eu morra aqui se isto não é verdade’.

E os isqueiros que são vistos aqui a realçar o embevecimento feminino, na realidade só vão servir para uma coisa – alumiar a lata de atum que estão a comer  num qualquer parque de estacionamento onde estão sozinhos a ver a porra dos aviões.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Anda comigo ver os aviões, o cara…. ou boas razões para não levar a sério letras românticas

  1. Meu Deus, num post só conseguiste destruir os sonhos de geeks, fonas, aldrabões e aceleras, ou seja, cerca de 93,7% da população heterossexual masculina. Urge o seguimento, com a explicação de como é que afinal se conquista as mulheres.

    • Pois, isso já é matéria de especialistas ou, na pior das hipóteses, ir por esta ideia – escrever músicas românticas desliga a tomada da lógica a boa parte do público feminino – isso deve ajudar na sedução 🙂

    • É bom ver que a sintonia, tal como os aviões, anda pelo ar 🙂

      Dissecar letras sempre foi um passatempo ocasional que faço de bom grado. Creio que, ao nível da actividade ‘dissecar’, é do menos grave que poderia fazer com o meu tempo.

Tens a certeza disso que dizes?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s