A triste sina dos que não gostam do toque para a saída

 

Quando andava na escola nunca conheci ninguém que não gostasse do toque para a saída. Fossem marrões, calões, rufias, betas, chungas, malta super cool ou os reis do desporto, o toque de saída era sinónimo de alegria.

Isso não queria dizer que a aula fosse mais ou menos secante, que a coisa fosse melhor no Verão do que no Inverno ou que existissem planos definidos para o tempo de intervalo/almoço/fim do dia que se seguia. Era apenas um toque de saída e o prenúncio de algo melhor a seguir.

Depois começas a trabalhar e percebes que alguém desligou o toque para a saída. Tudo bem, as regras são diferentes, terás que ser tu a controlar isso mesmo. Aprendes rapidamente que nem sempre horário e hora de saída são coisas muito lineares e que nem sempre vais conseguir cumprir aquilo a que te dedicas.

Sim, vais ouvir histórias de outros países e outros empregos, onde o toque para a saída, agora convertido em ‘hora de saída’ é cumprido a rigor. Vais aceitar essa diferença com indiferença e talvez alguma inveja e, seja por precariedade, solidariedade, sobrecarga ou até por gostares daquilo que fazes, vais empurrar o teu toque para a saída um bocadinho mais para a frente.

No entanto, mesmo que o patrão não goste, que as pessoas que trabalham contigo não façam as coisas como tu ou por vezes estupidamente te censures por o desejares tanto, vais querer desfrutar do teu toque para a saída assim que puderes. Porque trabalhar não tem que ser algo mau mas, tal como na escola, a hora de saída devia simbolizar o início ou o espaço para algo melhor.

E é normalmente enquanto te levantas, arrumas as tuas coisas e, se for o caso, preparas uma qualquer piada de fim de tarde que quer dizer simplesmente ‘até amanhã’ que descobre algo que não compreendes – gente que já não gosta do toque para a saída.

Pessoas que não se levantem e saem porque não querem, fazendo tempo quando não precisam, inventando tarefas quando não existem, arrastando outros para ficarem com eles. Poderá haver quem não tenha mais do que o horário de trabalho e o toque para a saída mais não signifique que um toque para o vazio, mas nem sempre é assim – Vejo gente que adia ao máximo o reencontro com a família, relações, etc o mais que pode numa base regular e, sem querer julgar, apesar de já o estar a fazer, não compreendo. Poderia ter um maior entendimento se visse que estão a fazer um qualquer outro projecto pessoal, a dinamizar algo espectacular ou a planear uma surpresa, seja lá para quem for. Mas não, muitas vezes é só o conforto seco de fazer render papelada, emails, redes sociais e conversa de encher salões.

Maioritariamente, diria que são homens, mas também já vi mulheres que ligam o super profissionalismo para desligar o resto lá fora. Espero que isso nunca me aconteça, que tenha sempre razões para esperar algo melhor lá fora depois da saída.

E penso no exemplo que seria, estar na escola a ouvir o toque para a saída e pensar que bom, bom era a aula continuar mais um bocadinho e poder ficar ali, sentado, à espera do nada.

Anúncios

4 pensamentos sobre “A triste sina dos que não gostam do toque para a saída

  1. Costumo gostar de diferenciar o “trabalhar para viver” do “viver para trabalhar”. No caso dessas pessoas que vês, “viver” e “trabalhar” é a mesma coisa. Tento não julgar, como tu, mas… faz-me espécie…

  2. Esta gente existe mesmo, gente que inventa afazeres. Mas é possível regenerarem-se. Tenho como exemplo uma colega que, desde que se divorciou, voltou a apreciar o toque de saída.

  3. E o pior é quando esta gente guarda para depois do toque todos os assuntos importantes que têm para resolver com quem gosta do toque para a saída.

  4. Nos meus tempos de escola tinha mau estar com o toque para sair(o último), o final do dia escolar era sinónimo de ir ajudar o meu pai… Hoje em dia, e cada vez mais, só toque para entrar no trabalho, para sair o toque perde o som… muito bom post!

Tens a certeza disso que dizes?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s