Os dias não se escolhem

  

Aproveitam-se.
E, a quatro dias de voltar ao trabalho depois de um mês de licença, ou a três de ir fazer uma maratona tipo não maratona ao que tudo indica em registo duche contínuo, este calhou que nem ginjas.

Mas, curioso natural que sou, estranho sempre alguns cenários com que me cruzo quando estou em registo de lazer. Se vou correr a horários não madrugadores e vejo gente que não se enquadra no perfil estudante/reformado a fazer o mesmo fico logo a pensar ‘Serão desempregados? Mas vão com ar demasiado feliz para isso… Na volta estão de férias – mas quem é que tira férias a meio de Outubro? Olha, se calhar estão de licença como eu… mas faltam-lhes olheiras. Será trabalho por turnos ou folga?’
Na maior parte das vezes não chego a conclusão nenhuma, mas é garantido que a especulação pura e dura ajuda a entreter nas folgas de músicas e podcasts.

Como o dia deu margem de manobra, damos um salto à praia e durante cinco minutos dá-se a ilusão de ‘Epá, de campeão era um banhinho de mar’ – ilusão essa que fomos enterrar na areia, dois segundos depois de meter os pés na água. Ainda assim, sou surpreendido novamente com o volume de gente na praia. Depois das minhas teorias, proponho abordar duas ou três pessoas para tirar isso a limpo. A minha proposta é vetada liminarmente pela ala feminina que desconfiou do facto dos potenciais alvos dos meus inquéritos serem sempre mulheres tonificadas que caminhavam junto ao mar ou corriam no paredão. Blasfémias disse eu, dando o assunto por encerrado quando a alternativa proposta era questionar dois pançudos que olhavam para o mar e apontavam com ar sábio para dois cargueiros.

Depois, gozando do prazer mundano que é almoçar numa esplanada, descubro na ementa que o conceito de ‘hamburger gourmet’ continua a mudar – agora parece que para ser gourmet basta ser no prato, por oposição ao não gourmet, que é no pão. A não ser que o pão seja bolo do caco e aí o pão é gourmet, o hamburger talvez. Fico baralhado e resolvo lamber as azeitonas do couvert, negando-me depois a pagar o mesmo.

É bom ter tempo para aproveitar um dia assim. Depois foi só tentar perceber onde é que, ao longo da manhã, nos tínhamos esquecido da criança.

Anúncios

Tens a certeza disso que dizes?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s